• Hildebrando Couto Santos

Acessando um poder real e autonomia sobre você mesmo

Uma avaliação sobre situações que ocorrem que tentam nos impedir de fazer determinados movimentos novos de mudanças pessoais nas nossas vidas. Sobre elementos sabotadores criados por nós mesmos, e que quando somos racionais demasiados acreditamos que são coisas normais e devemos aceitar e pronto. Sobre elementos sabotadores que perpetuam comportamentos e atitudes ao longo da nossa jornada, e nos impedem de evoluir na carreira, na nossa vida pessoal, nos relacionamentos...




Em alguns momento passamos por situações desafiadoras na nossa vida, reviravoltas, problemas que são criados sem que saibamos suas origens, e situações ocorrem e não entendemos como e porque elas surgem. Principalmente quando iniciamos algumas mudanças na nossa vida parece que aí o universo inteiro disponibiliza um cardápio de opções de desafios para reforçar a mudança, e nos joga em um movimento de “vai ou racha”.


Até aí tudo bem, já ouvimos vários exemplos de coisas parecidas com isso. Agora, para completar, existem as resistências internas, algumas bem notórias que já conhecemos bem, por exemplo: a preguiça, a dispersão, o esquecimento. Outras nem fazemos ideia da sua existência (e força). Também todos já ouvimos relatos de situações que acontecem com uma pessoa quando ela assume um compromisso pessoal de mudar um comportamento ou atitude, tipo algo que ocorre para impedir que a pessoa cumpra o objetivo que ela projetou, um elemento entra na jogada e tenta impedir o movimento da pessoa. Como assim?


Vamos lá! Aconteceu comigo, recentemente, mais um exemplo desta situação, sabotadora. Decidi fazer uma viagem para participar de um retiro com Sri Prem Baba sobre Propósito, e assim priorizar em mim este olhar mais profundo para os movimentos da minha vida profissional e pessoal, e compreender mais sobre tudo o que eu quero movimentar na minha vida. Isto requereria a minha disposição para meditação, atenção comigo mesmo, sobre meus sentimentos, além da disposição financeira e de tempo. Aí entrou em ação algo para tentar impedir que isto acontecesse... No meio da viagem descobri um probleminha no dedo do pé direito (lado da energia Yang, masculina, ação...). Sabe o que era? Um bicho-de-pé (destes que pegamos em contato com areia e terra contaminada). Resolvi tirar o bicho, e nesta mesma noite tive muitas dores e mal dormi, e no dia seguinte o pé estava redondo de tanto inchado, e mal conseguia caminhar. Surgiu um belo desafio, e uma baita sabotagem em curso querendo me segurar.


Acordei coloquei um sapato e segui viagem, 06 horas de ônibus, e aquela dor ali martelando. Ao chegar no local do Retiro, quando tiro o sapato, não conseguia tocar o pé no chão, só conseguia apoiar a parte do calcanhar. Andava a passos lentos em um local que é pura areia e mato, e a dor seguia como se me dissesse “fica quieto, não vai, para e descansa, vai deitar”. E doía mesmo, não é drama masculino destes que nós conhecemos, o pé já não cabia mais no sapato, nem na sandália havaiana (que já estava quase estourando). Segui, fui em frente, como se não estivesse com aquela dor comigo, e quando entrei a primeira vez no salão onde ocorreria o retiro percebi o tamanho das mudanças que ocorreriam comigo, que fazia que algo em mim se manifestasse contra. E muitas coisa se manifestaram, se revelaram, e me trouxeram muitos aprendizados pessoais, principalmente humildade.


Algo em mim movimentava algumas forças para me impedir de ter acesso a situações que iriam provocar mudanças de comportamentos. Este é o elemento sabotador que age dentro de nós constantemente, que é um mecanismo essencialmente de proteção que nos impede de ter contato com situações que nos tragam o inesperado, o “arriscado”, o novo, a transformação que gera novos comportamentos. Simples assim: se já tens comportamentos conhecidos que você já sabe onde te levam, que mesmo que não te leve as suas grandes realizações mas você se sente seguro e no controle, porque gerar novos comportamentos ao qual terás um grande trabalho para aprender e consolidar?


Esta é a essência do que chamam de autossabotagem. Nós mesmos temos os mecanismos certos e na medida para impedir nossa própria evolução pessoal. Quando nos mantemos presos nas amarras do puramente mental e racional, levando em conta apenas elementos objetivos e práticos, deixamos as oportunidades de transformação de lado, e negamos tudo o que for profundamente transformador nas nossas vidas.


E como podemos mudar isso? Resistindo a julgar as situações pela forma direta que elas se apresentam. Humm? Assim, no meu caso sobre o problema no pé, vai lá e pronto, aguenta a dor e todas as suas consequências e faz o que você planejou fazer. Quando decidires fazer algo diferente e novo, e quando algo ocorrer impedindo que você continue, flua e busque forças internas para continuar no que você planejou, mesmo assumindo as consequências do que você vai deixar de fazer ou assumir que surgiram no meio do seu movimento.


Um movimento persistente, mais fluido, na direção daquilo que você decidiu fazer é o que vai definitivamente provocar mudanças na sua vida, é o que tem a força de gerar novas atitudes pessoais, e os novos aprendizados decorrentes disto são para toda a vida, e é assim que novas conexões são processadas te dando o real poder e autonomia sobre você mesmo. Afinal ser altamente (quase que exclusivamente) racional e mental é ser escravo de algo que nem mesmo você tem domínio.


Um pé, sim, uma situação no pé, tem força suficiente para me derrubar e me tirar do plumo e me afastar do objetivo que tracei. Só, e somente só, se eu deixar e permitir. E muitas vezes deixei e permiti, mas nesta experiência, NÃO.



#autossabotagem

#autoconhecimento

#desenvolvimentopessoal

#superação



No dia 29 de Setembro estarei conduzindo uma Roda de Conversa e de Cura para Homens, e um dos temas abordados vai ser autossabotagem e ação. Saiba mais aqui - > http://bit.ly/RodadeCura


ATENDIMENTOS ONLINE E TAMBÉM PRESENCIAL (nas cidades de Porto Alegre/RS, São Leopoldo/RS, Novo Hamburgo/RS, Sapiranga/RS e Araricá/RS)

Me segue lá no Instagram e acompanhe os textos e artigos diários: INSTAGRAM

© 2018 by Hildebrando Couto Stos  - Whats (51) 998 740 030