• Hildebrando Couto Santos

O cuidado e atenção: Uma questão de equilíbrio

Uma exposição sobre atenção e presença, pensar, sentir e agir, sobre como somos moldados por nós mesmos e por uma sociedade a sermos uma "coisa ou consumidor(a)", sobre as forças sagradas que agem dentro de cada um de nós, sobre a simbologia (sentido e significado) de um Deus e uma Deusa dentro de nós.


Quando percebemos que a força física ou mental não tem sido suficiente para alcançarmos nossos objetivos é porque já estamos em falta com os cuidados com nós mesmos, e já nos distanciamos daquilo que nos qualifica como fortes diante da vida. A vida é um constante moldar-se, construir a si mesmo.




Assim como na natureza, a força está sempre associada a fluir conforme a lei, e a lei é uma questão de equilíbrio entre perceber, sentir e agir. Quando há o desequilíbrio, e consequentemente se é mais presente em um dos pontos, não se é forte suficiente para a existência. Em outras palavras, o desequilíbrio se manifesta quando somos super ativos em uma ou outra parte do tripé "perceber - sentir - agir".


E onde iniciamos a caminhada pela busca do equilíbrio e como identificamos o que precisamos evoluir? Uma das possibilidade é reconhecer o equilíbrio interno entre o que te leva para a ação, o que te leva a ter atenção e presença no aqui e agora, onde você abre mão dos cuidados consigo mesmo, reconhecer onde você abre mão da orientação. Para agir você precisou sentir, e para sentir foi necessário perceber, e o quanto você consegue reconhecer este processo acontecendo em você? Somos a soma sagrada de um poder de uma Deusa e de um Deus se manifestando dentro de nós, e que passamos por processos internos e externos de autoconhecimento e evolução, que nos levam a novos patamares pessoais.

Uma Deusa habita em todos nós, um Deus também, mas de tanto tempo de opressão ao feminino que agora se faz necessária trazer à tona a referência da Deusa em nós, sejam homens ou mulheres, porque assim podemos equilibrar a força, e sermos todos mais completos e fortes. A palavra “Forte”, neste contexto, não está ligada a ideia de opressão, agressividade, brutalidade, impulsividade, competição, e sim ao equilíbrio, fluidez, segurança, confiança, e o cuidado consigo e com os outros.


Não há como ser forte alimentando apenas um lado da força, alimentando o lado confortável que mais vibra em você, pois neste caso, a balança pende para um lado e você fica “torto”, e foi assim que fomos educados e criados numa sociedade patriarcal. E o patriarcado não é um ser invisível, ele é fruto das ações de todos nós, mas também não devemos subestimar as ações “invisíveis”, e muito bem direcionadas, que manipulam a economia, a política e a sociedade para fazermos meros objetos de consumo ou que nos fazem ganhar um título desde que nascemos: o título de consumidor.


Devemos sair da ingenuidade, mas não devemos perder de vista o que queremos construir em nós quando equilibrar a balança da força. Em nome de consolidar o equilíbrio pessoal não posso ser um petulante que guerreia por tudo a qualquer custo, pois aí me entrego ao pior do meu ego, e o caminho que penso seguir é o inverso do que busco almejar de fato. Em nome do equilíbrio e bem estar não posso alimentar uma cegueira ou miopia espiritual, social, econômica, política... Os meus maiores inimigos, e maiores parceiros dos valores patriarcais opressores, residem dentro de mim mesmo.


Quando falamos de fluxo, falamos de vida. Perceba, a água não quer saber dos limites que são impostos pelas pedras, pelas margens ou outros meios, ela sempre estará buscando formas de ser fluída, encontrando brechas, ou modificando o que está barrando ela.

Quando falamos de vida, falamos de essência. Quando (e como) você extrai, tudo o que está abaixo de todas as camadas de tudo o que você acha que é, o que fica é o que?

Fluxo e essência requer sentir o que se faz, e não apenas ficarmos presos ao que pensamos ou agimos. Um tigre não caça sem antes “perceber” e “observar”, simplesmente porque se ele seguir apenas impulsos e agressividade não vai ter força equilibrada que o leve a atingir seus objetivos. Antes é preciso cuidar de si mesmo, sentir o que tem a frente (e estar atento em todas as direções), pois sentir é um ato de cuidado consigo mesmo, para não inverter os papéis, pois "pensando" ser o caçador você pode ter virado a caça, porque esqueceu de "sentir" para "agir".



#Autoconhecimento

#OSagradoemNós

#SagradoMasculino

#AGrandeDeusa

#AForçaqueHabitaemMim

#AForçaqueHabitaemvocê


-----

Saiba mais sobre o Workshop para homens "Despertar da Águia": https://www.hildebrandocoutosantos.com/despertar-da-aguia


Em breve um livro de atenção, fluxo, essência, presença, equilíbrio entre pensar, sentir e agir a partir da convivência consigo mesmo, a partir de situações do cotidiano, principalmente masculino.


ATENDIMENTOS ONLINE E TAMBÉM PRESENCIAL (nas cidades de Porto Alegre/RS, São Leopoldo/RS, Novo Hamburgo/RS, Sapiranga/RS e Araricá/RS)

Me segue lá no Instagram e acompanhe os textos e artigos diários: INSTAGRAM

© 2018 by Hildebrando Couto Stos  - Whats (51) 998 740 030